O infantário da Leonor é um dos muitos que fecha durante a segunda quinzena de Agosto, sei que é uma realidade que afecta famílias de Norte a Sul do país, mas cá por terras algarvias, são poucos os pais que conseguem tirar férias entre os meses de Junho e Agosto.
Eu por exemplo trabalho no aeroporto, e é impensável tirar férias por esta altura, felizmente o Artur é um “sortudo”, e todos os anos tira férias na segunda quinzena de Agosto, o que nos permite ficar descansados quando o infantário está fechado, porque a Leonor fica com ele.
Se por um lado é uma vantagem ter férias por esta altura, por outro, são umas “férias” que não lhe permitem descansar por completo.
Depois de trabalhar meses seguidos, duas semanas em casa com um filho, sabem muito bem, mas consegue ser cansativo ao mesmo tempo.
Se levas meses a acordar super cedo, e pensas em tirar a barriga da miséria nas férias, dormindo até um pouco mais tarde, enganas-te… o teu filho vai fazer o favor de acordar ás oito e pouco, com a maior energia do mundo, pronto para brincar;
Se ficas em casa com a pequena, levas o dia a ter mini AVCs, ou começa aos saltos no sofá e morres de medo que acabe com a cabeça no chão, ora vai para cima da cama brincar, em que a probabilidade de cair é igualmente grande, ora tenta pintar paredes, ora vai brincar com a água, ora, ora ora…uma lista de quem é mãe ou pai, sabe que não tem fim;
Se pensas passar um dia diferente e vais para a praia, podes esquecer o ficar com o rabo quietinho na toalha a bronzear, a pequena ora vai desatar a correr, ora vai cavar um buraco ao teu lado e encher-te de areia, ora quer ir para a água, ora quer fazer de croquete, ora, ora, ora…mais uma lista sem fim.
Claro que sabemos que quando somos pais, que há coisas que mudam, e o nosso descanso é uma dessas coisas! É claro que uma mãe e um pai descansam, mas o nosso cérebro está sempre alerta. E umas férias 24h sob 24h com um filhote também cansa.
Por isso Artur, prometo que na minha próxima folga podes tirar a barriga da miséria e dormir até às 500, que aqui as miúdas vão brincar para outra freguesia para teres sossego.
Sei que possivelmente vai haver quem não concorde comigo, vai haver quem me critique por me expressar assim, ou quem aponte o dedo por parecer que me estou a queixar, mas não, estou apenas a constatar uma realidade que muitos pais sentem e por vezes com medo das críticas, têm medo de o dizer.
A todos os pais e mães exaustos,
Um mega beijinho
Mamã da Nônô 

Share:
Ivânia Rodrigues
Written by Ivânia Rodrigues
Nasci em Faro numa tarde de Outono, em Outubro de 1990. Rapariga de boas notas e sempre certinha na escola, fui até à universidade onde estudei psicologia.