Dizem que ter um bebé muda por completo as nossas vidas, concordo e ao mesmo tempo não posso estar de acordo.

Confesso que no primeiro dia que estivemos em casa, foi o meu dia de dormir! O Artur tomou conta da Leonor o dia TODO! Eu só acordava para ela mamar. Daí para a frente fizemos a nossa rotina normal. Felizmente a Leonor sempre foi uma bebé calminha, dormia horas a fio, o que me dava tempo para tratar das coisas da casa.

Saí todos os dias de casa com a Leonor, e nunca me privei de fazer fosse o que fosse. Continuei a ir tomar café todos os dias com a minha mãe, a ir arranjar o cabelo e as unhas, fazer as compras do supermercado, ou ir ver os jogos de futsal do Artur, sempre na companhia da Leonor.

Inicialmente foi fácil, estava á espera de ver a minha vida de pernas para o ar e não conseguir dar conta do assunto, mas consegui claro que contando com o apoio do Artur da minha mãe, amigas e família.

Por volta das duas semanas, apanhámos o nosso primeiro valente susto com a Leonor, eu tinha muito leite, muito leite mesmo, ás vezes quando ela parava de mamar eu parecia uma fonte (ahahahah) o leite continuava a escorrer, e como ela era mesmo muito pequenina, não dava conta do leite que saía, no que é que isto deu? A Leonor uma noite, enquanto mamava engasgou-se e ficou sem respirar, o Artur agarrou rápido nela, virou-a de barriga para baixo, e deu pancadinhas nas costas, quando olhei para ela, vi-a a ficar roxa e a revirar os olhos, gelei, já tinha ligado para o 112, e via a ambulância passar ás voltas ao meu prédio e não dava com a nossa casa.

Felizmente ela desengasgou-se sozinha.
(O médico que nos viu, exlicou que os ´bebés normalmente têm defesas para conseguirem recuperar sozinhos, mas isso não me acalmou)
Fomos até ao hospital e lá pediram para eu lhe dar de mamar novamente, tornou a acontecer o mesmo, ela voltou a engasgar-se mas a enfermeira agiu prontamente.
Explicaram-me o que fazer caso voltasse a acontecer.
Fomos para casa e nos dias seguintes, não fui capaz de ficar com a Leonor sozinha, principalmente na hora dela mamar.

Sentia-me em pânico, com medo de não saber o que fazer. O Artur ficou o dia seguinte ao da ída ao hospital comigo em casa, mas depois teve de voltar ao trabalho.

Este episódio tornou a acontecer noutra noite, tornámos a ir ao hospital, e eu pensei que não ía continuar nesta ansiedade cada vez que ela fosse mamar. Solução? Tirar o leite com a bomba e dar no biberon, assim a Leonor deixou de se engasgar porque a velocidade a que o leite saía do biberon já era controlada por ela.

A Leonor completou um mês no dia em que eu fiz 25anos!

 

Foto tirada aos 17 dias!

 

Foto tirada aos 17 dias!

 

Foto no dia do meu aniversário e 1º mês completo de vida da Leonor!

Foi sem dúvida um mês diferente, não pelo trabalho que é tomar conta de um bebé, porque ela não dá trabalho, mas si porque foi um mês de adaptação, nós a aprendermos a tomar conta dela e a aprendermos a ser pais, e ela a adaptar-se ao Mundo e a nós!

…to be continued!

Share:
Written by Mamã da Nôno
Nasci em Faro numa tarde de Outono, em Outubro de 1990. Cresci numa época em que era comum saltar á corda e ao elástico, ver o batatoon e o Doraemon. Estar na moda era usar calças á boca de sino, ter um discman e um Nokia 3310. Rapariga de boas notas e sempre certinha na escola, fui até á universidade onde estudei psicologia. Adepta ferrenha do Benfica e do Farense, ex praticante de ginástica acrobática, gulosa, extrovertida e apaixonada pela vida. Sempre muito senhora do meu nariz, e depois de alguns amores e desamores naturais da idade, cedo me juntei com o pai da minha filha (O Artur, de quem muito irão ouvir falar), e ainda com 24 anos engravidei. Foi num fantástico dia de sol em Setembro de 2015, que nasceu a minha mais que tudo, a razão deste blog, a pequena Leonor. O Blog 'Mamã da Nônô' surgiu em Março de 2016, quando decidi fazer uma espécie de diário online para que a Leonor um dia tivesse muito para ler sobre nós. Hoje, para além de um simples diário online, é um projecto pessoal ao qual dedico todo o tempo que posso. Sejam bem vindos ao nosso mundo.