Quem nos tem acompanhado, sabe que até há um mês atrás a Leonor frequentava uma instituição privada, (por nossa opção). Mas, também foi por nossa opção que este ano a decidimos colocar numa escola pública.

Com 4 anos completos, e prontinha a frequentar o ensino Pré-Primário, para nós só fazia sentido que assim fosse. Mais tarde ou mais cedo, teríamos que a colocar no ensino público, por isso não quisemos adiar esta transição.

No último mês falei muito com ela sobre a ida para a escola nova, explicava-lhe que era a escola para os meninos crescidos, iria ter novos amigos, uma professora nova, mas prometi-lhe que iria ser igualmente divertido. A nova escola fica a cerca de 50metros da nossa casa, cada vez que lá passávamos dizia-lhe “Vez, esta vai ser a tua nova escola, tem um escorrega enorme e muito espaço para brincares com os teus novos amigos”, e ela lá se foi deixando convencer.

Perguntou-me muitas vezes se não era possível os amiguinhos do infantário e a Educadora que já a acompanhava virem para aquela escola com ela, porque tal como ela, todos os amiguinhos cresceram e têm ou vão ter em breve 4 anos, por isso teria todo o sentido irem juntos para a escola dos crescidos. Expliquei que não, porque se nós tínhamos aquela escola mesmo ao lado da nossa casa, os amiguinhos dela também iriam para uma escola que ficasse mais perto da casa deles.

A miúda lá se mentalizou da mudança que estava para vir…

Quarta-feira tive reunião de pais na escola e decidi levá-la comigo, para poder conhecer as instalações, alguns meninos e a nova professora.

(Posso dizer-vos que me custou mais a mim do que a ela esta adaptação à escola pública.)

Para ajudar, na salinha tem um menino que frequentava a mesma sala que ela no infantário, outra boa ajuda, é o facto da sala estar estruturada quase como a sala do infantário que frequentava. Tem um espaço de leitura, um espaço onde brincam ao faz de conta (casinha onde podem brincar com cozinhas, bebés…), uma zona de trabalhos manuais, uma zona de pinturas…

Ainda no decorrer da reunião perguntou-me se podia ir brincar com os outros meninos que tinham ido com os pais, e eu disse que sim, mesmo para a ir deixando ficar mais confortável.

Sexta-Feira (ontem) é que começou a sério…

(Na véspera preparámos a mochila (que foi escolhida por ela, tal como todo o material que comprámos), escolhemos a roupa e, mesmo antes de a deitar tive uma conversa com ela, em que pedi para ela ir calma e com vontade de fazer novos amigos, expliquei a rotina que iria passar a ter na escola, e ela super atenta a tudo o que lhe transmiti, foi concordando.)

Acordámos eram 08H00, bebeu o leite habitual que bebe todas as manhãs, e pediu-me para lhe colocar uma fruta na mochila para poder comer quando tivesse fome, vesti-a, e lá fomos os três até à escola. Ela quis ir à frente, para mostrar ao pai que sabia o caminho. Quando lá chegámos ainda faltavam 5 minutos para as 09H00, brincou um pouco no recreio com os meninos, ainda que timidamente, foi-se soltando pouco a pouco.

Às 09H00 tocou a campainha, e eu expliquei que aquilo era o sinal sonoro para os meninos irem para as salas. Quando a educadora chegou, a Leonor agarrou-se ao Artur, para a tentar distrair, pedi-lhe que fosse comigo buscar a garrafa de água que estava na mochila, para  a pormos junto às garrafas dos outros meninos. Explicámos que tínhamos de ir embora, era hora de ela ficar ali com os amigos e a professora, mas dissemos para não se preocupar, que ia ser super rápido até a irmos buscar.

Despedimo-nos e ela e ali ficou tranquila, ainda espreitámos sem que ela nos visse, mas ficou super bem.

Às 15H00, quando o avô e o pai a foram buscar, ouviram da parte da professora um “a Leonor é uma menina super bem comportada e inteligente, portou-se muito bem, e correu tudo bem, podem ficar descansados”. Assim que saí do trabalho e cheguei perto dela, coloquei-lhe a questão de como tinha corrido o dia e se tinha gostado, ela disse um enorme “SIIIIIIIM” e que quer voltar.

Conseguem imaginar o quanto aquela resposta me tranquilizou o coração?

A minha pequenina está uma crescida!

Que orgulho!

 

Share:
Written by Mamã da Nôno
Nasci em Faro numa tarde de Outono, em Outubro de 1990. Cresci numa época em que era comum saltar á corda e ao elástico, ver o batatoon e o Doraemon. Estar na moda era usar calças á boca de sino, ter um discman e um Nokia 3310. Rapariga de boas notas e sempre certinha na escola, fui até á universidade onde estudei psicologia. Adepta ferrenha do Benfica e do Farense, ex praticante de ginástica acrobática, gulosa, extrovertida e apaixonada pela vida. Sempre muito senhora do meu nariz, e depois de alguns amores e desamores naturais da idade, cedo me juntei com o pai da minha filha (O Artur, de quem muito irão ouvir falar), e ainda com 24 anos engravidei. Foi num fantástico dia de sol em Setembro de 2015, que nasceu a minha mais que tudo, a razão deste blog, a pequena Leonor. O Blog 'Mamã da Nônô' surgiu em Março de 2016, quando decidi fazer uma espécie de diário online para que a Leonor um dia tivesse muito para ler sobre nós. Hoje, para além de um simples diário online, é um projecto pessoal ao qual dedico todo o tempo que posso. Sejam bem vindos ao nosso mundo.